07/03/2019 02:09
Coroas de abacaxi viram pratos e talheres na Colômbia
A ideia é que o material seja aplicado em embalagens diversas.

Uma solução alternativa ao uso de descartáveis plásticos foi criada pela startup colombiana Lifepack. Trata-se de um material feito a partir dos restos das cascas do milho e das coroas de abacaxi, ou seja, dois subprodutos agrícolas, para o desenvolvimento de utensílios. O mais bacana é que ao fim do uso, os pratos e talheres podem ser simplesmente jogados na terra para se decompor.

Em cada produto da linha intitulada Papelyco é incorporado sementes. Isso significa que os consumidores podem plantar a embalagem após o uso e uma segunda vida irá surgir em forma de planta e flor. Se a pessoa não quiser plantar seu pratinho, pode somente descartá-lo no lixo comum, onde ele irá decompor-se em questão de semanas.

Ao contrário dos descartáveis comuns - que formam a massa de plástico que inunda córregos e, posteriormente, oceanos -, os produtos da Lifepack são plantáveis, compostáveis e biodegradáveis. Para o casal de desenvolvedores, Claudia Isabel Barona e Andres Benavides, eles vendem "embalagens que geram vida". E essa vida pode ser pensada não só pelos vegetais que podem crescer, mas também pela geração de trabalho: já tendo fornecido treinamento para mais de 190 mulheres, criado 20 empregos diretos, treinado 35 presidiárias, gerado receita para mais de 10 produtores de abacaxi e adicionado renda à famílias monoparentais, isto é, quando apenas um dos pais de uma criança arca com as responsabilidades de criar o filho.

 

Dados

No site de financiamento coletivo Indiegogo, onde arrecadaram pouco mais de dois mil reais, o casal cita dos dados que justificam o negócio promissor que criaram. "Em 2010, a Colômbia gerou mais de 27 mil toneladas de lixo por dia; os EUA registraram 600 mil toneladas - sendo que apenas 35% dos resíduos foram reciclados. Especificamente na Colômbia, 4% vieram de pratos descartáveis ​​e copos, além de embalagens plásticas e de isopor. Enquanto isso, as embalagens dos EUA representam 30% dos resíduos sólidos e demoram entre 500 e mil anos para se decompor. Os efeitos de todo esse desperdício no meio ambiente, desnecessário dizer, são enormes", diz o texto. E o interesse pelas estatísticas norte-americanas não é em vão: o próximo passo do casal é lançar uma unidade de produção em Saint Louis, no Missouri, Estados Unidos.

A ideia é que o material seja aplicado em embalagens diversas, como de alimentos, bebidas, cuidados com a saúde, cuidados pessoais e embalagens industriais.

Fonte: Site: www.ciclovivo.com / imagem: www.pixabay.com
Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar!

Nome:
E-mail:

* seu e-mail não será publicado.
Comentário:
Digite o código ao lado:
(gerar outro código)